Civilria mantém-se como a empresa com melhores resultados líquidos

A empresa mais lucrativa do sector da construção civil é a Civilria, S.A., que cresce 58,17% neste indicador em 2018 face ao ano anterior

O exercício de 2018 foi muito positivo para a Civilria, S.A., que cresceu em todos os indicadores em análise. A empresa aveirense, que actua na área da Promoção imobiliária (desenvolvimento de projectos de edifícios) — CAE 41100, sobe dois lugares no “ranking” das 300 maiores empresas de construção civil do distrito de Aveiro, ocupando, actualmente, a 3.a posição, tendo por base os resultados obtidos no exercício de 2018. A empresa conseguiu, em 2018, um volume de negócios de 18,49 milhões de euros, um indicador que denota um crescimento de 89,71% face aos 9,75 milhões de euros que haviam sido facturados em 2017. Também de crescimento se revestiram os resultados líquidos, com a Civilria a conseguir, em 2018, um lucro de 7,3o milhões de euros, que, quando comparado com os 4,61 milhões de euros apurados em 2017, denota um aumento, neste indicador, de 58,17%. A Civilria define-se como uma empresa com “solidez financeira” e “com as competências técnicas para a actividade de desenvolvimento imobiliário”. Segundo refere no descrito publicado na sua página oficial na Internet (www.civilria.pt), a empresa actua “de forma verticalizada, desde a concepção ao projecto, passando pela construção e comercialização”. Acrescenta que a empresa agrega a “área de gestão de activos” onde gere “uma carteira com mais de 5o mil metros quadrados de rendimento do grupo”.

Pódio dos lucros
É, então, este valor e este crescimento que coloca a Civilria no topo das empresas com os melhores resultados líquidos em 2018, no sector da construção civil do distrito de Aveiro. A segunda posição, neste indicador, é ocupada pela António Pimenta, Construções, Lda., de Arouca, que obteve, em 2018, um resultado líquido de 2,27 milhões de euros, que, face aos 2,70 milhões de euros que haviam sido apurados no ano anterior, revela uma quebra de 15,78% nos lucros. Esta empresa, em 2018, facturou quase 33 milhões e euros, um valor 1,80% superior relativamente aos 32,42 milhões de euros que haviam sido realizados no ano anterior. Já no terceiro lugar está a Construções Carlos Pinho, Lda, também de Arouca, que auferiu um lucro, no exercício em apreço, de 940,08 mil euros, superior em 56,70% face aos 599,91 mil euros de 2017. A construtora registou, em 2018, um volume de negócios de 19,20 milhões de euros, mais 30,06% do que os 14,76 milhões de euros que haviam sido facturados em 2017.■

in Diário de Aveiro 29 NOV 2019

Clique para ver em PDF

Facebook Comments