in Diário Imobiliário 9 SET 2015

O mercado imobiliário começa realmente a dinamizar e a prova são as notícias de novos projectos que surgem um pouco por todo o país. Desta vez o Diário Imobiliário mostra-lhe o Uno Al Mar e o Riva Empreendimentos, os novos condomínios do Grupo Civilria, especialista na promoção e construção imobiliária.

Com uma localização privilegiada na primeira linha do mar na marginal de Vila Nova de Gaia – Canidelo, o Uno Al Mar é composto por dois edifícios com um espaço comercial, 40 apartamentos e um loteamento para 17 moradias. Com tipologias desde T0 até T5, lotes de terreno para moradias e moradias concluídas, este projecto permite satisfazer alguma escassez de oferta.

A Civilria há muito que se destaca no mercado imobiliário pela aposta em novos projectos de arquitectura moderna e diferenciadora e também na vertente da reabiliatção. Mesmo em tempos difíceis não desistiu de promover e construir novos projectos.  Segundo a administração da empresa os últimos anos foram difíceis para o sector e obrigaram as empresas a um ajustamento e a uma mudança de paradigma, sendo obrigadas  a actuar e a pensar de forma rápida em soluções e estratégias que permitissem superar as dificuldades de um sector em autêntica recessão.

Contudo, a Civilria conseguiu centrar-se na solução dessa situação e continuou a investir  no mercado procurando projectos dando especial infoque ao factor localização e arquitectura, conseguindo assim ultrapassar a fase menos boa do sector.

Portugueses continuam a comprar casa mas de forma mais racional

Também o mercado internacional, nomeadamente França e china, ajudaram nesta altura, apesar da empresa garantir que os portugueses continuam a comprar casa em Portugal. “Embora de forma mais regrada e racional. Hoje, o facto de a compra ser mais racional, leva a que a escolha incida mais sobre um conjunto de factores de extrema importância, como são a localização, a qualidade, a segurança na compra por via das garantias futuras e o historial da empresa a quem compram”, explica a administração.

Quem procura as casas dos projectos da Civilria são uma classe médio alto, casas para primeira residência, eventualmente para férias, talentos nacionais a desenvolver actividade no exterior e a nova onda de clientes provenientes de França e china.

“Paralelamente a isso, Portugal é cada vez mais o destino escolhido por estrangeiros, tendo em conta a segurança do país, o clima, o custo das habitações e os protocolos desenvolvidos com alguns países e que se traduzem em benefícios fiscais, como é o caso da França ou dos Residentes não habituais e que se estendem também a portugueses que residam e  fora do nosso país há mais de cinco anos”, explica a Civilria.

Clique aqui para visualizar a notícia completa